O que você precisa saber sobre yoga na terceira idade

O yoga na terceira idade pode ser um importante aliado para o bem estar e a saúde. Mas como? Te contamos!


Quando realizamos pesquisas sobre yoga, existem corpos e faixas etárias muito frequentes nos resultados.

Essas imagens de pessoas magras e, em sua maioria jovens, podem ajudar a fortalecer uma ideia errada de que yoga é apenas para essas pessoas.

Mas a verdade é que a atividade é extremamente acessível para quem quer que se proponha a praticar. 

Não importa o gênero ou a idade, menos ainda se a pessoa conta com alguma limitação de mobilidade: o yoga tem lugar para você.

E no caso de pessoas idosas não é diferente.

Para provar isso, montamos esse informativo com o que você precisa saber sobre yoga na terceira idade.

E para te ajudar a entender bem sobre a relevância do assunto, de forma bem didática, dividimos esse texto em algumas perguntas — e respostas que você confere a seguir.

  • Qual é a importância das atividades físicas para a terceira idade?
  • Quais são os benefícios do yoga na terceira idade?
  • Existem modalidades de yoga mais praticadas ou mais indicadas para pessoas idosas?
  • Como posso praticar yoga na terceira idade?
  • Qual é a atual população de pessoas idosas do Brasil?

Vamos lá?

Qual é a importância das atividades físicas para a terceira idade?

Vamos começar lembrando que exercícios físicos são ferramentas poderosas de bem estar em qualquer idade.

O corpo ativo permite que você desfrute de inúmeros benefícios para a saúde física e mental: desde a melhora no condicionamento físico até a redução de sintomas de depressão.

Além desses pontos positivos, uma rotina de atividades físicas também pode ajudar em aspectos específicos da faixa etária.

Em um artigo para o portal da PUC-RS, Daniel Fagundes Godoy, professor do parque esportivo da universidade, explica.  

“A população em geral começa a ter perda de massa muscular e óssea a partir dos quarenta anos, podendo ser agravada com a chegada da terceira idade. Problemas ligados à hipertensão, diabetes e obesidade também se agravam nesta faixa etária.”

Em contrapartida, a instrutora de yoga e parceira da Arimo, Nina Tassi, explica que é justamente a terceira idade que concentra os maiores níveis de inatividade. 

“Isso porque o número de atividades cotidianas de trabalho e sociabilidade diminuem. Por consequência, ficando mais tempo em casa e muitas vezes sozinhos, os números de casos de depressão aumentam bastante. Todos esses fatores listados alimentam um ciclo extremamente negativo que fragiliza essa população,” conta a instrutora.

Com esse cenário, vale ainda ressaltar a a necessidade de conscientizar a sociedade sobre a importância de uma terceira idade ativa.

Processos naturais podem ser auxiliados por uma vida ativa

O esforço para incentivar pessoas idosas a praticarem exercícios físicos vai além de uma alternativa para evitar doenças comuns à essa faixa etária.

O artigo “A importância da atividade física para a terceira idade”, publicado na revista digital EFDesportes, ressalta ainda os processos naturais do envelhecimento.

Isto é, condições como diminuição da audição e da visão, que não caracterizam doenças. 

Essas mudanças podem ser agravadas quando somadas a uma vida de sedentarismo — durante e anterior à terceira idade.

Confira abaixo um trecho do artigo:

“Durante os primeiros anos da nossa vida, nossa evolução física é muito rápida, principalmente nos quesitos de crescimento e desenvolvimento, porém quando chegamos à terceira idade, ocorre a fase da involução. O processo de involução ocorre de forma mais lenta que a evolução da infância e adolescência. Porém, tal involução influencia diretamente e de forma considerável na perda das capacidades funcionais do idoso. Quando se pratica atividades físicas regulares e adequadas, pode-se auxiliar o corpo nessa readaptação e diminuir os efeitos “involutivos” do processo de envelhecimento.”

Em resumo, uma rotina de exercícios físicos pode facilitar bastante a diminuir dificuldades típicas e importantes mudanças da terceira idade.

É importante lembrar ainda que a terceira idade não é formada por indivíduos homogêneos: até mesmo esses processos naturais variam de acordo com cada pessoa.

Quais são os benefícios do yoga na terceira idade?

Se anteriormente falamos que os exercícios físicos oferecem benefícios  particularmente interessantes para a população da terceira idade, com o yoga não poderia ser diferente.

E aqui listamos alguns desses benefícios específicos da atividade na vida de pessoas idosas.

1) Permite maior autonomia na realização de tarefas

De acordo com a instrutora Nina Tassi, o aumento da força, flexibilidade e mobilidade circular afeta diretamente a funcionalidade de pessoas idosas que praticam yoga.

Desta forma, esses praticantes conquistam maior autonomia e independência para realizar atividades diárias. 

2) Ajuda a evitar problemas no sistema circulatório

Você verá no item seguinte, sobre o yoga na prática, como a atividade pode ainda ajudar a evitar falhas no sistema circulatório.

Esse tipo de problema pode levar a quadros clínicos como o AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Mas através de asanas e aulas específicas, é possível ativar a circulação do sangue e diminuir o risco desses problemas.

3) Auxilia no equilíbrio

Lembra que falamos sobre os processos naturais do envelhecimento?

A perda de equilíbrio faz parte deste grupo de mudanças que enfrentamos com o passar dos anos, e pode ser agravada por uma série de condições, incluindo distúrbios do sono (lembrando, novamente, que isso afeta cada um de uma maneira diferente).

E as quedas, que podem levar a fraturas, são consequências frequentes. 

Mas também existem práticas que podem ajudar com essa situação, e separamos uma para você conferir no item sobre yoga na prática!

Benefícios psicológicos do yoga na terceira idade

“Do ponto de vista emocional e psicológico, a prática de qualquer atividade pode promover a sociabilidade (ainda que virtual, em tempos pandêmicos). E o yoga, especificamente, promove o autoconhecimento e o controle do fluxo de pensamentos, que, por exemplo, pode influenciar muito a sensação de bem estar,”

explica a instrutora Nina Tassi.

Mas esses não são os únicos benefícios.

Através do yoga, pessoas idosas também podem:

1) Diminuir os sintomas da ansiedade

A filosofia do yoga incentiva o foco no momento presente.

E essa mentalidade já pode ajudar bastante a diminuir sintomas de transtornos de ansiedade — que é causada por sentimentos negativos de expectativa, como preocupação excessiva e medo de situações simples do dia a dia. 

Essa filosofia somada à prática dos exercícios de respiração, posturas e meditação, que compõem o yoga diminuem de forma considerável os níveis de ansiedade.

E essa combinação, por sua vez, acaba atingindo a saúde física também: diminui as chances de aumentar a pressão arterial.

2) Diminuir o estresse e sintomas de depressão

Assim como na ansiedade, a mente estressada e em depressão é um terreno fértil para pensamentos negativos e nocivos ao nosso bem estar.

Mas com a filosofia e exercícios oferecidos pelo yoga, você aprende a esvaziar a mente e diminuir a frequência desses pensamentos.

3) Sentir melhoras na auto-estima

Em estudo publicado no International Journal of Yoga, foi constatada também a relação entre a prática e a melhora na auto-estima de mulheres idosas.

Mas no geral, toda a população de terceira idade pode sentir melhora nesse sentido, considerando que a atividade pode oferecer maior autoconhecimento e confiança.

Existem modalidades de yoga mais praticadas ou mais indicadas para pessoas idosas?

Essa pode ser uma pergunta comum, principalmente quando iniciantes descobrem que o yoga engloba diferentes modalidades, com diferentes níveis de complexidade.

Mas a instrutora Nina Tassi afirma que isso depende de cada praticante e suas preferências.

“O estilo de Yoga mais praticado por todas as idades é o Hatha Yoga, um estilo mais flexível, que permite maiores adaptações, portanto, mais indicado para iniciantes, mas essa indicação não é regra. O mesmo acontece com idosos que, do meu ponto de vista, podem praticar o estilo que preferirem, até porque cada um tem preferências, habilidades e se sente melhor sendo mais ou menos desafiado,” conta a professora.

Para ela, a questão não precisa ser uma modalidade específica, mas sim uma orientação adequada.

“Eu, particularmente, aconselho que sempre procurem professores de yoga com formação em educação física ou outras áreas da saúde que envolva um profundo estudo sobre anatomia, fisiologia, bioquímica, saúde coletiva e processos neurofisiológicos do envelhecimento.”

Como posso praticar yoga na terceira idade?

Sempre falamos aqui no blog sobre como podemos adaptar a prática de yoga para diferentes finalidades.

E quando falamos sobre o yoga na terceira idade não é diferente: basta pensar a atividade com base nas necessidades dessa faixa etária ou da pessoa idosa, em particular.

“É  importante que o praticante iniciante saiba que todos os asanas podem ser adaptados para ele, e que o Yoga não é uma aula de contorcionismo,” afirma Nina Tassi.

E essa é uma imagem que muitas pessoas, idosas ou não, podem ter sobre o yoga, quando não conhecem a prática a fundo.

Afinal, alguns asanas podem parecer desafios inalcançáveis.

Mas, segundo a instrutora, essa é justamente a beleza do yoga: os desafios.

E são eles também que mostram a importância de encontrar um ou uma profissional com qualificação adequada, e que busquem tornar o exercício acessível para o praticante — como nos vídeos a seguir.

Abaixo você confere três aulas pensadas especialmente para demandas frequentes da terceira idade.

Yoga para ativar a circulação

No vídeo abaixo, você pode conferir uma prática voltada especificamente para ativar o sistema circulatório.

Como a professora Cirlei ressalta na introdução desta aula, doenças causadas pela má circulação do sangue — como o infarto e o AVC — são responsáveis por altos índices de mortalidade.

E por serem doenças também muito frequentes durante a terceira idade, cresce a importância de trabalhar para manter uma boa saúde do sistema circulatório. 

Em tempos de pandemia, então, a prática a seguir pode ser especialmente benéfica.

Yoga na cadeira

Este é um estilo de yoga em que a atividade é realizada enquanto você está sentada ou sentado sobre uma cadeira, e o exercício promove a melhora na postura.

A instrutora Nina Tassi explica que, por isso, o yoga na cadeira é indicado para qualquer pessoa que tenha mobilidade reduzida — independente da faixa etária.

“Com o aumento do trabalho remoto e os longo períodos de crianças e adolescentes sentados em frente ao computador, a mobilidade articular desses indivíduos tem sido drasticamente reduzida, fazendo com que essas pessoas não sejam capazes nem de sentar sem um apoio nas costas, o que impossibilita a realização até dos asanas mais básicos. Por esse motivo, surge o Yoga na cadeira, uma adaptação que torna a prática possível para esses indivíduos,” explica a profissional.

Yoga para trabalhar o equilíbrio

Como já mencionamos, a perda de equilíbrio é um fator natural na terceira idade, e atinge cada pessoa em diferentes níveis.

Mas independente do quão afetado é o equilíbrio, o yoga pode ajudar. 

Pensando nisso, a instrutora Paula, apresenta uma solução: praticar com a ajuda de duas cadeiras. 

Qual é a atual população de pessoas idosas no Brasil?

Em 2020, a pesquisa “Onde estão os idosos?”, conduzida pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), revelou que cerca de 10,5% da população brasileira é formada por pessoas com 65 anos ou mais.

Mas por que isso é um dado relevante para entendermos a atuação do yoga na terceira idade?

Primeiramente porque precisamos prezar pelo bem estar das pessoas idosas que nos cercam.

Até porque essa é uma faixa etária que está mais suscetível a uma série de condições físicas que podem ser auxiliadas pela prática de yoga.

Em segundo lugar, os números podem nos trazer questionamentos e soluções.

O yoga é uma possibilidade para todas essas pessoas? Como podemos ampliar o alcance da prática?

Para somar ao olhar sobre o coletivo, vale considerar também nossas experiências particulares e expectativas sobre o futuro.

Afinal, segundo projeções de 2019 da Organização das Nações Unidas (ONU), o número de idosos no Brasil, e em todo o mundo, tende apenas a crescer.

A única previsão para declínio dessa parcela da população é para o fim do século XXI.

Então cedo ou tarde, vale entender como o yoga pode te ajudar a manter uma vida mais saudável e harmoniosa, certo?

E lembre-se: não existe idade para incluir o yoga — ou qualquer rotina de exercícios — em seu dia a dia. 

E para você, que ainda acha que o yoga não é para você, a instrutora Nina Tassi dá a dica.

Mentalize:

“eu sou a minha mente, o meu corpo e o meu espírito, e olhar para tudo isso que eu sou com amor, atenção e respeito é absolutamente necessário. O Yoga me dá ferramentas para isso.”


A gente sempre tem coisas legais pra te contar!

  1. Descontos exclusivos para nossa lista de emails.
  2. Enviamos conteúdos informativos.
  3. Novidades sobre nossos produtos e promoções.
  4. Enviamos poucos emails.
  5. Você pode sair da lista a qualquer momento.
  6. Respeitamos sua privacidade: não rastreamos seu email.

Cadastrar

Utilizamos cookies para o funcionamento de nossa loja online. Também utilizamos cookies de terceiros para personalização de experiências de anúncios nas plataformas deles.