Dia dos Pais Arimo com Frete Grátis para todo o Brasil - Cupom FRETEGRATIS

Yoga para gestantes: tudo que você precisa saber

Yoga para gestantes não precisa ser um mistério. E hoje a Arimo te apresenta as principais características da atividade neste momento tão importante da vida.


Uma das principais características do yoga é seu poder de incluir toda e qualquer pessoa em suas práticas — independente da modalidade. Não importa se você tem alguma condição que te limite fisicamente ou se você lida com alguma questão psicológica.

Também não importa se você está em uma idade avançada ou se já pratica alguma outra atividade física.

A verdade é que, na diversidade dos tipos de yoga, você sempre encontrará um lugar para pertencer e evoluir.

E não seria diferente para pessoas gestantes.

O período, predominantemente, de nove meses, em que você está carregando aquele serzinho dentro de si também permite que o yoga seja parte de sua rotina.

Este é um momento super especial e que pode ser ainda melhor aproveitado quando você se dedica a olhar para dentro, desacelerar seu ritmo de vida e trilhar um caminho de autocuidado.

Por isso, nós, da Arimo, resolvemos desenvolver esse guia para que você entenda os pontos mais importantes do yoga para gestantes.

A seguir você encontra respostas para as principais questões acerca do assunto, respondidas por estudos e pela nossa parceira e professora de yoga Nina Tassi.

Resumo do artigo:

  • Qual tipo de yoga devo praticar durante a gestação?
  • Perigos, cuidados e contraindicações no yoga para gestantes
  • Qual é o diferencial do yoga para gestantes?
  • Que tipo de benefício uma pessoa gestante pode alcançar com o yoga?
  • Asanas e pranayamas: como as técnicas de yoga podem ajudar na hora do parto?
  • O yoga reforça a conexão entre gestante e bebê?
  • E durante o pós-parto?

Vamos lá?

Qual tipo de yoga devo praticar durante a gestação?

Esta pode ser uma das principais dúvidas para quem busca praticar o yoga durante o período de gestação.

E é completamente natural, já que este é um momento em que você passa por diversas mudanças — desde as hormonais e físicas até as psicológicas.

Então realmente é interessante buscar atividades que sejam desenvolvidas para gestantes ou que possam ser adaptadas para essas pessoas.

Mas a professora de yoga Nina Tassi explica que não existe uma única modalidade específica de yoga que seja indicada para pessoas gestantes. Isso porque, “a gravidez é um processo extremamente único — que cada pessoa vive de uma maneira —, sendo influenciado por questões genéticas, sociais e de personalidade,” afirma.

São muitos critérios a se avaliar na hora de escolher o tipo de atividade ou modalidade de yoga que você irá praticar.

“Por isso não existe um estilo ideal, a ideia é que o yoga seja para todos, independentemente do estilo,” conta Nina.

Isso, no entanto, não quer dizer que todas as técnicas do yoga (asanas, pranayamas, mantras, meditação, mudras, etc) e suas variações sejam indicadas para gestantes.

E falaremos mais sobre isso no tópico a seguir, mas antes disso é importante ressaltar o papel de quem te instrui no yoga durante todo o processo de escolha da modalidade e técnicas utilizadas.

É de extrema importância que você tenha o acompanhamento de uma pessoa com qualificação profissional. Assim você garante uma prática segura para você e seu bebê, respeitando seus limites.

Então, ao invés de buscar um estilo ideal de yoga para seu período de gestação, é interessante buscar primeiro uma instrução profissional.

Desta forma é possível avaliar suas condições de saúde e especificidades como gestante, para só então pensar sua prática e as técnicas que farão parte dela.

Perigos, cuidados e contraindicações no yoga para gestantes

O yoga não é uma atividade perigosa, mas, assim como em qualquer outra prática, pode gerar incômodos físicos e lesões, caso não seja realizado da forma correta.

Então em qualquer tipo de yoga é necessário cuidado e orientação profissional. E no caso do yoga para gestantes há sim a necessidade de uma atenção ainda mais focada nos casos específicos de cada pessoa.

A professora Nina Tassi, por exemplo, explica que “segundo Almeida e Tumelero (2003) não se faz respiração de fogo, posições invertidas ou posturas pesadas. Gestantes devem ser tratadas com muito cuidado, principalmente quando se trata do 1º filho.”

Então, quais são os principais cuidados que uma pessoa gestante deve ter ao praticar yoga?

Nina Tassi responde que

é importantíssimo que gestantes tenham o acompanhamento de um profissional para garantir sua segurança e a do bebê. Os cuidados vão desde o tipo de respiração (pranayama) realizado durante a prática, até as posições indicadas e contraindicadas por conta da gravidez e por conta de especificidades da mãe, como pressão alta ou baixa, por exemplo. De maneira geral, não é recomendado realizar asanas de comprimem o abdômen ou invertidas, nem permanecer em apnéia ou realizar técnicas respiratórias que restrinjam o fluxo de oxigênio.”

Qual é o diferencial do yoga para gestantes?

Um dos principais diferenciais do yoga para gestantes começa em quem pratica esta atividade.

Afinal, a pessoa gestante passa por tantas mudanças, que é necessário ter uma prática adaptável para cada caso, como falamos anteriormente. E é importante ressaltar aqui o fator adaptação — característica que define o yoga para gestantes.

As aulas para grupos de pessoas grávidas é um ótimo exemplo para começar a entender a importância de adaptar essa atividade.

Isso porque, naturalmente, as aulas reúnem pessoas em diferentes estágios da gravidez e condições de gestação. 

Então, nesses casos, é essencial que as instrutoras e os instrutores de yoga conheçam suas alunas e seus alunos. Somente assim poderão adaptar a atividade de acordo com suas respectivas especificidades, mesmo que durante uma prática conjunta. 

Mas essa adaptação não é exclusiva de aulas de yoga em grupo. Mesmo que você pratique apenas na companhia de uma instrutora ou um instrutor, sua prática definitivamente passará por alterações conforme seu processo de gestação avança.

Afinal, as mudanças físicas, alterações hormonais, possíveis incômodos e limitações de movimentação não devem, de forma alguma, ser desrespeitadas.

Por isso, é comum você encontrar vídeo aulas, por exemplo, voltadas especificamente para cada um dos três trimestres da gravidez.

Esses momentos representam importantes pontos no desenvolvimento do feto e, consequentemente, no corpo que ele habita. Por isso, cada trimestre apresenta aspectos próprios que devem ser considerados ao se pensar uma prática de yoga para a pessoa gestante em questão.

Então, em resumo, o principal diferencial do yoga para gestantes é sua capacidade e necessidade de adaptar a prática para cada praticante.

E para isso, é preciso orientação profissional e conhecimento das particularidades de cada fase da gestação e da situação de saúde da pessoa praticante.

Que tipo de benefício uma pessoa gestante pode alcançar com o yoga?

O yoga já é conhecido como uma prática que ajuda a diminuir sintomas de ansiedade e depressão, aliviar dores crônicas, e melhorar o condicionamento físico de seus praticantes.

Mas esses benefícios ganham novos contornos quando seu público alvo são pessoas gestantes.

Esse grupo, por exemplo, enfrenta diferentes tipos de incômodos físicos, que vão desde os conhecidos enjoos de gestação até cólicas e dores nas costas.

Tudo isso é uma resposta do corpo às suas mudanças físicas.

Apesar de natural, dói e incomoda, e o yoga pode ser uma alternativa aos medicamentos — ou uma complementação a eles — para ajudar nesse processo.

“Algumas mulheres relatam muito sono e fraqueza, outras ansiedade e agitação e o yoga é recomendado para todos esses casos,” conta Nina Tassi. 

A professora ressalta ainda a melhora de sofrimentos psicológicos, que podem aparecer ou se intensificar durante a gestação. “Já existem estudos que comprovam o efeito do yoga sobre a saúde mental de grávidas, diminuindo os níveis de estresse, ansiedade e depressão, principalmente no segundo e terceiro trimestre de gravidez.”

Além disso, ela lista também benefícios como fortalecimento muscular, resistência e flexibilidade.

Vale notar, que esses benefícios podem ajudar a criar aquela tão desejada sensação de bem estar e ainda podem diminuir as dores citadas anteriormente.

Então, os benefícios do yoga para gestante incluem:

  1. Melhora das dores causadas pelas alterações físicas
  2. Alívio de sintomas de estresse, ansiedade e depressão
  3. Fortalecimento muscular
  4. Maior resistência e flexibilidade
  5. Aumento de disposição para atividades, no geral
  6. Sensação de bem estar

E apesar de todos esses benefícios serem possíveis de alcançar para qualquer praticante de yoga, pessoas gestantes certamente precisam de doses extras de tudo isso. 

Mas Nina lembra:

“esses ganhos também podem ser alcançados com outras práticas, não é uma exclusividade do yoga.”

Então, se mesmo dentro de uma aula voltada exclusivamente para gestantes, você não se sente bem, não se preocupe.

Há diversas outras atividades que podem te auxiliar a passar pela gestação de forma mais saudável e rodeada de autocuidado.

Asanas e pranayamas: as técnicas de yoga podem ajudar na hora do parto?

Para além de todo o processo de gestação, o yoga também pode refletir de maneira positiva em um dos momentos mais importantes da gravidez.

Sim, o yoga também beneficia praticantes na hora do parto.

De acordo com a professora de yoga Nina Tassi,

“quando estamos falando sobre o parto normal estamos falando de um desgaste físico bastante considerável. Por isso, é muito importante que a pessoa gestante tenha resistência cardiorrespiratória, força muscular e mobilidade articular adequadas para tanto, o que pode ser garantido com asanas e pranayamas sob uma boa orientação,” explica.

Em termos psicológicos, a lógica do yoga em nos trazer para o momento presente pode também tornar o parto — e os momentos que o antecedem e sucedem — ainda mais especiais.

Como o parto também é um momento muito particular para cada pessoa, há quem se beneficie também das técnicas de yoga durante as contrações e momentos antes do parto.

Mas, novamente, isso depende de cada pessoa.

Ninguém deve se sentir na obrigação de praticar um asana ou pranayama quando não se sente à vontade para tal. É de extrema importância o auto respeito nesse momento.

O yoga reforça a conexão entre gestante e bebê?

Algumas modalidades de yoga, mais do que outras, focam especificamente em um trabalho de introspecção, de olhar para dentro e buscar uma conexão consigo.

Então, quando seu corpo é habitado por outro alguém, existe a possibilidade do yoga intensificar a conexão entre vocês?

A professora de yoga Nina Tassi afirma que sim, é possível. E praticantes da atividade também já dividem com o mundo suas experiências de conexão com o bebê durante a prática, como mostra a matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo.

Nela, uma mãe conta que “alguns asanas também permitem uma conexão maior entre ela e Isadora que, de dentro da barriga, responde com movimentos a tudo o que acontece no corpo da mãe.”

A experiência de praticar o yoga em sintonia com o bebê pode ser especialmente benéfica para o bem estar de gestantes.

Mas a professora Nina Tassi reflete também que não se trata apenas desse momento de conexão entre dois seres.

“O yoga é um estilo de vida exatamente sobre relações: a minha relação comigo mesma, com os que estão ao meu redor, com aqueles que nem conheço, com a natureza, com os alimentos, com objetos, enfim, o yoga é uma filosofia de vida que propõe consciência, luz e paz em mim e no mundo. Então sim, sem dúvida a conexão entre gestante e bebê pode ser significativamente reforçada, mas mais que isso, uma ligação de amor e esperança com o mundo pode ser desenvolvida antes mesmo do parto,” explica Nina.

Considerando essa linha de pensamento, é possível ainda considerar a conexão com sua parceira ou seu parceiro, por exemplo, se este for o seu caso.

Um exercício interessante pode ser praticar yoga ao lado dela ou dele.

E no caso de mães solo que queiram essa experiência conjunta, uma boa opção é convidar alguém de confiança — sejam amigas e amigos ou familiares — para praticar com você.

E durante o pós-parto?

Assim como no processo de gestação, durante o pós-parto, a pessoa também passa por mudanças importantes.

Afinal, é neste momento que seu corpo trabalha para retornar ao estado anterior ao da gravidez. Então, durante o pós-parto, também é necessário ter cuidados específicos para a prática de yoga — e qualquer outra atividade física.

Não dispense a orientação de uma pessoa profissional e garanta a sua segurança e saúde.

A gente sempre tem coisas legais pra te contar!

  1. Descontos exclusivos para nossa lista de emails.
  2. Enviamos conteúdos informativos.
  3. Novidades sobre nossos produtos e promoções.
  4. Enviamos poucos emails.
  5. Você pode sair da lista a qualquer momento.
  6. Respeitamos sua privacidade: não rastreamos seu email.

Utilizamos cookies para o funcionamento de nossa loja online. Também utilizamos cookies de terceiros para personalização de experiências de anúncios nas plataformas deles.