Você conhece? Fabiana Claudino

Fabiana Claudino é um grande nome no esporte brasileiro, sendo uma jogadora de destaque no voleibol feminino. Ela nasceu em Belo Horizonte, em 1985, e começou sua carreira no inícios dos anos 2000.

Com apenas 13 anos, Fabiana iniciou oficialmente sua carreira como atleta, jogando pelo  Clube MVR de Minas Gerais. O primeiro grande reconhecimento recebido pela atleta foi em 2009, quando Fabiana levou o título de “Melhor Levantadora do Grand Prix”.  No ano seguinte, a jogadora teve sua primeira experiência jogando para um time internacional. Ela foi contatada pelo  Fenerbahçe Universal da Turquia e jogou lá por dois anos. Após isso, Fabiana integrou o Sesi de São Paulo, time em que Fabiana angariou diversas vitórias. Só em 2012 a equipe foi campeã da Copa São Paulo, levou o bronze no Campeonato Paulista e prata no Top Volley, uma competição na Suíça. 

A estreia de Fabiana na seleção brasileira aconteceu em 2003. Antes disso, ela já integrava a seleção sub-20. Representando a seleção brasileira, a atleta participou das Olimpíadas de Pequim (2008) e Londres (2012). Em ambas ocasiões o time de voleibol feminino levou a medalha de ouro.

Fabiana havia se aposentado da seleção em 2016. Contudo, em 2019, o seu retorno foi anunciado. Ela explicou que seu amor pelo esporte determinou sua volta. O retorno da Fabiana também marcou um período de renovação na seleção brasileira de voleibol. Após a derrota para a China nas Olimpíadas do Rio, o time viu a necessidade de se reconstruir.

Em seu retorno, Fabiana e a seleção brasileira tinham como foco a preparação para as Olimpíadas de Tóquio, que aconteceriam esse ano. A pandemia do covid-19 colocou essa preparação em pausa.  Em entrevista para a ESPN, Fabia relatou como a pandemia mexeu com seus planos de vida e carreira. Segundo ela:

“Esse ano era uma oportunidade de brigar e lutar para jogar mais uma Olimpíada e dando tudo certo eu daria uma pausa após os Jogos. Tenho sonho de ser mãe e achamos que seria bom momento após Tóquio. Minha vida estava certa até tudo virar de cabeça pra baixo com o Coronavirus. Ainda estou pensando o que fazer na verdade. Agora é me reestruturar, conversar em família e ver o que se pode ser feito. Não tem nada decidido”.

Fabiana consegue ser a personificação dos conceitos de determinação e vitória. Ao longo de sua carreira, ela angariou dois ouros olímpicos (2008 e 2012), sete Grand Prix (2004, 2006, 2008, 2009, 2013, 2014 e 2016), duas Copas dos Campeões (2005 e 2013) e um ouro pan-americano (2011).

Em entrevista, a atleta também dá um exemplo de como podemos reconhecer nossas próprias vitórias, mas claro, sem perder a humildade. Ao perguntarem se ela se considera como uma das maiores atletas brasileiras, ela respondeu “Se me considero uma das maiores? Com certeza. Se eu não considerar, quem vai?”.

Enquanto a atleta não volta às quadras, você pode conferir a Fabiana pela suas redes sociais, especialmente pelo seu perfil inspirador no instagram (@fabiclaudino)!

Para ler mais:
Fabiana Claudino conta como foi chegar até o sucesso
Bicampeã olímpica, Fabiana explica volta à Seleção e espera por Jogos de 2021
Vôlei: Capitã da seleção planejava gravidez após Tóquio 2020: ‘Tudo virou de cabeça pra baixo’


A gente sempre tem coisas legais pra te contar!

  1. Receba um cupom de 5% de desconto ao se cadastrar.
  2. Enviamos conteúdos informativos.
  3. Novidades sobre nossos produtos e promoções.
  4. Enviamos poucos emails.
  5. Você pode sair da lista a qualquer momento.
  6. Respeitamos sua privacidade: não rastreamos seu email.

Receber

Utilizamos cookies para o funcionamento de nossa loja online. Também utilizamos cookies de terceiros para personalização de experiências de anúncios nas plataformas deles.