O que é kriya yoga? Tudo que você precisa saber sobre a prática

Venha conhecer o Kriya Yoga: técnica que visa aproximar praticantes de suas divindades interiores e da felicidade plena.


Apesar de não se tratar de uma religião, o yoga é comumente relacionado à ideia de espiritualidade.

E o Kriya Yoga é uma dessas modalidades que declaradamente conectam a prática yogui ao conceito de evolução espiritual.

Mas se, ao ler isso, você acredita que se deparou com um yoga tradicionalmente religioso, saiba que não é bem por aí. É o que aponta o portal Yogananda, que representa a Self-Realization Fellowship (SRF) — organização fundada por Paramahansa Yogananda para difundir os saberes do Kriya Yoga.

“[Este] ensinamento é especialmente apropriado à época moderna, porque não pede a ninguém que acredite dogmaticamente em Deus, mas que, mediante a prática de Kriya Yoga, cujas técnicas são de eficácia comprovada, descubra por experiência própria a resposta à eterna pergunta: “O que é a Verdade?” – relativa a si mesmo e a Deus.”

Por outro lado, essa modalidade de yoga é conhecida por seus praticantes como uma “ciência sagrada”.

Então, considera-se que o Kriya Yoga une a espiritualidade e a ciência de forma pouco tradicional.

Interessante, certo? Então vem com a gente descobrir mais sobre essa prática transformadora! A seguir você encontra os seguintes tópicos:

  • O que é o Kriya Yoga?
  • Kriya, Raja e Kundalini: há alguma diferença entre essas modalidades?
  • As técnicas do Kriya Yoga
  • A importância da preparação no Kriya Yoga
  • Quem pode me auxiliar no encontro com minha divindade interior?
  • Paramahansa Yogananda e o Kriya Yoga
  • A felicidade plena na conexão divina

O que é o Kriya Yoga?

Como já falamos, o Kriya Yoga é uma modalidade de yoga que visa a conexão de seus praticantes com a divindade interior que habita em cada um de nós.

Mas existe muito mais a se conhecer dentro dessa prática.

A começar por seu nome. “A raiz sânscrita de Kriya é kri — fazer, agir e reagir — a mesma raiz encontrada na palavra karma, o princípio natural de causa e efeito. Desta forma, Kriya Yoga é “união (yoga) com o Infinito através de uma certa ação ou rito”.

Um iogue que segue fielmente sua técnica é gradualmente libertado do carma”. A explicação é de Paramahansa Yogananda em seu livro “Autobiografia de um Iogue”.

Já por aí começamos a entender também outros objetivos que conduzem o Kriya Yoga e suas consequências. Então, além de buscar a conexão com a divindade interior, essa prática também visa a libertação do carma.

Outros dois pontos também essenciais a esse processo são a quietude e o desacelerar da mente, além de um controle ativo da nossa energia vital. Isso quer dizer que, através do Kriya Yoga, praticantes podem tirar o foco do ritmo do mundo exterior e voltar atenção para dentro de si.

E, com isso, passam a ter um maior poder de transformar seu interior e se aproximar da divindade que ali vive. 

Para quem conhece o Raja Yoga e o Yoga Kundalini, pode perceber nesses aspectos alguma similaridade entre essas três modalidades.

E não é à toa.

Afinal, o portal Yogananda, aponta que: “a ciência sagrada do Kriya Yoga contém a essência destilada da Raja Yoga.” Por outro lado, uma das cinco técnicas que compõem o Yoga Kundalini é a chamada Kriya. Então o que difere esses três caminhos no yoga?

Kriya, Raja e Kundalini: há alguma diferença entre essas modalidades?

Uma resposta resumida é: sim, há diferença entre Kriya Yoga, Raja Yoga e Yoga Kundalini.

Na modalidade Kundalini, por exemplo, o Kriya é apenas um dos exercícios que habitam a prática, e é definido como a união de um pranayama, um asana e um mudra.

E a combinação dessas três técnicas visa estabelecer uma conexão entre a pessoa praticante e sua própria consciência.

Outra diferença importante diz respeito ao movimento e fluxo de energia dentro dessas duas modalidades. No Yoga Kundalini, a ideia é elevar a energia vital até o chakra coronário.

Já no Kriya Yoga, acredita-se que “fazendo circular continuamente a corrente vital para cima e para baixo na coluna vertebral, pela técnica especial de Kriya Yoga, é possível acelerar muito nossa evolução e nossa consciência espiritual,” explica o texto no portal Yogananda.

A relação entre Raja e Kriya Yoga, por sua vez, é mais difusa.

Isso porque, como dito anteriormente, o Kriya Yoga tem sua essência fundada nos ensinamentos do Raja Yoga. Mas o Kriya Yoga tem seus próprios passos ou exercícios para alcançar seus objetivos, além de ser considerado uma técnica específica de meditação.

O que podemos afirmar é que, apesar da diferença entre essas três modalidades, todas bebem da mesma fonte.

Além disso, elas visam objetivos muito semelhantes, mas trabalham de formas diferentes para alcançá-los.

As técnicas do Kriya Yoga

Conhecido como um caminho, o Kriya Yoga é composto, naturalmente, por passos.

É como se através de cada uma das técnicas a seguir, a evolução de quem pratica levasse a um destino final. E no caso do Kriya Yoga esse destino é o encontro com seu Deus interior. Mas como isso acontece?

A Self-realization Fellowship (SRF) identifica quatro técnicas que definem o trabalho de praticantes de Kriya Yoga. São elas:

  1. Exercícios de energização
  2. Técnica de concentração de Hong-Sau
  3. Técnica de meditação de Om
  4. Técnica de Kriya

O que se sabe sobre as quatro técnicas?

De acordo com a SRF, “os exercícios de energização são uma série de exercícios psicofísicos desenvolvidos por Paramahansa Yogananda para preparar o corpo para a meditação.”

Não entendeu?

Confira o vídeo abaixo para visualizar do que se trata e compreender melhor essa primeira fase de aprendizado prático do Kriya Yoga.

Apesar de estar em inglês, é possível ativar uma tradução automática na plataforma através das configurações de legenda.

Como a técnica de concentração de Hong-Sau é muito específica, emprestamos aqui a explicação do portal Ananda, autoridade no assunto.

“Comece por inspirar e expirar completamente. Quando a próxima respiração chegar, pronuncie mentalmente Hong. Em seguida, enquanto expira, cante mentalmente Sau. Não tente controlar a respiração, deixe-a fluir naturalmente. […] Para ajudar a manter a concentração, movimente levemente o dedo indicador da mão direita em direção à palma da mão durante a inalação e relaxe o dedo na exalação.”

Lembrando que o trecho acima é apenas uma parte da instrução que auxilia praticantes a realizar a técnica de meditação.

É uma visão básica e introdutória.

E praticantes do Kriya Yoga devem buscar profundidade na prática com a orientação de um guru qualificado.

A técnica de meditação de Om, por sua vez, não é detalhada para as pessoas praticantes antes de passarem pelos dois passos anteriores. Aliás, o preparo para cada um desses processos é uma característica marcante do Kriya Yoga, e mais para frente voltaremos a falar sobre isso.

Por fim, o quarto passo: a técnica de Kriya Yoga, que se trata de avançados pranayamas, ou seja, exercícios de respiração. Mas pelo mesmo motivo da técnica de meditação de Om, o Kriya não é ensinado abertamente, já que é necessário preparo para executá-lo.

A importância da preparação no Kriya Yoga

Já deu para entender que o caminho de evolução no Kriya Yoga depende essencialmente da preparação da pessoa praticante, certo?

Este é um aspecto marcante da prática.

De acordo com o portal Yogananda, “após um período preliminar de estudo e prática das técnicas básicas, os estudantes se qualificam para solicitar iniciação em Kriya Yoga.”

Ou seja, existe um processo preparatório até mesmo antes da prática das técnicas explicadas no tópico anterior. E de acordo com o portal Ananda, essa preparação pode levar até um ano de aulas remotas ou presenciais e estudo literário.

Através dessa característica, podemos entender também a importância dos ensinamentos teóricos dentro do Kriya Yoga.

São eles que vão alinhar a mente de praticantes iniciantes à filosofia da atividade.

Mas a preparação não pauta a evolução apenas de pessoas iniciantes. Quem já começou a trilhar o caminho do Kriya Yoga também passa por novos processos, assim como falamos no tópico acima.

Um exemplo disso é o fato de que os praticantes podem demorar, no mínimo, seis meses para aprender as técnicas de meditação de Om e de Kriya Yoga.

Durante esse período, a prática deve se resumir aos dois primeiros passos já citados: os exercícios de energização e a técnica de concentração de Hong-Sau.

Quem pode me auxiliar no encontro com minha divindade interior?

Aqui no blog sempre estamos ressaltando a importância de buscar profissionais especializados e conhecer a qualificação de quem te orienta. Isso é um elemento essencial a qualquer atividade física — incluindo o Kriya Yoga.

Mas esta modalidade ressalta ainda mais a necessidade não apenas de qualificação, mas autorização para transmitir saberes.

Afinal, se praticantes da atividade precisam de tanto preparo teórico, físico, mental e espiritual, não deve ser diferente com quem ensina esses conhecimentos, certo?

No Kriya Yoga, só pode ensinar a prática quem tem autorização de um dos principais discípulos de Paramahansa Yogananda.

É o que aponta o portal Ananda: “a técnica de Kriya é ensinada através da iniciação por um de nossos Kriyacharyas ou professores de Kriya Yoga que sāo autorizados por Swami Kriyananda, que foi ele próprio autorizado por Paramhansa Yogananda, a passar a técnica de Kriya.”

Paramahansa Yogananda e o Kriya Yoga

O trecho anterior mostra a importância de um grande nome dentro do Kriya Yoga: Paramahansa Yogananda.

Por que, afinal, esta pessoa, que apareceu ao longo de todo o texto, é uma autoridade tão significativa quando o assunto é Kriya Yoga?

Bom, o indiano Paramahansa Yogananda é ninguém menos que o fundador da Self-Realization Fellowship (SRF). A organização é, desde 1920, a principal referência de Kriya Yoga no ocidente, e foi fundada pelo guru justamente com este objetivo.

Então, além de ser uma pessoa de extenso conhecimento, e alguém que já alcançou a dádiva de encontrar sua divindade interior, Paramahansa Yogananda foi também responsável por democratizar o Kriya Yoga.

Graças a ele, os ensinamentos da atividade se tornaram mais acessíveis a qualquer pessoa interessada.

A felicidade plena na conexão divina

Já falamos que uma consequência e um objetivo do Kriya Yoga é a conexão com seu Deus interior.

Mas muitas pessoas podem se questionar: esse é o único benefício dessa modalidade?

Então respondemos: não. Até porque acredita-se que essa conexão tão buscada dentro do Kriya Yoga se desdobra em outros pontos positivos na vida de quem a alcança. S

ua visão do mundo é alterada, sua vida ganha um novo sentido e, ainda mais especial: você experimenta a felicidade plena.

A conexão divina permite que não haja espaço para insatisfações em meio a sensação de felicidade.

O portal Yogananda define esse benefício da seguinte forma: “os ensinamentos de meditação de Kriya Yoga, de Paramahansa Yogananda, nos fornecem as ferramentas necessárias para preencher o vazio – trazer de dentro de nós mesmos toda a paz e alegria da alma.”

E afinal, não é isso que todos nós buscamos?

Bom, o Kriya Yoga pode ser o seu caminho para alcançar essa tão sonhada felicidade plena!


Lembre-se que este texto é um material introdutório sobre a noção geral de Kriya Yoga.

Desta forma, sua leitura não substitui o maior aprofundamento na atividade, especialmente esta que conta com intensos processos bem específicos de preparação para seus praticantes. 

Caso tenha interesse em aderir à busca por seu Deus interior, procure por pessoas devidamente qualificadas para ensinar os muitos conhecimentos do Kriya Yoga.


A gente sempre tem coisas legais pra te contar!

  1. Descontos exclusivos para nossa lista de emails.
  2. Enviamos conteúdos informativos.
  3. Novidades sobre nossos produtos e promoções.
  4. Enviamos poucos emails.
  5. Você pode sair da lista a qualquer momento.
  6. Respeitamos sua privacidade: não rastreamos seu email.

Cadastrar

Banner App Arimo
Banner Pinterest Arimo
Banner Instagram Arimo

Utilizamos cookies para o funcionamento de nossa loja online. Também utilizamos cookies de terceiros para personalização de experiências de anúncios nas plataformas deles.