5 modalidades de dança para manter uma vida ativa

Buscando uma forma para manter uma vida mais ativa? Preparamos uma lista com 5 modalidades de dança para você!


Uma vida ativa significa um grande passo em direção a uma boa qualidade de vida.

Mas, para muitas pessoas, encontrar um exercício para deixar o sedentarismo de lado pode ser difícil.

A dificuldade é ainda maior quando falamos sobre quem não curte muito atividades físicas consideradas mais tradicionais e populares, como musculação, lutas e treinos aeróbicos.

Se você é uma dessas pessoas ou conhece alguém assim, fica a pergunta: você já considerou praticar alguma atividade rítmica?

Existem diversas modalidades de dança que podem ajudar a tornar sua vida mais ativa e saudável.

E pensando nisso, nós, da Arimo, preparamos uma listinha com 5 modalidades de dança para manter uma vida ativa.

A seguir você encontra mais informações e dicas sobre:

  • Balé
  • Jazz
  • Dança de rua
  • Dança do ventre
  • Zumba

Mas antes de embarcar nos detalhes sobre essas atividades, vale considerar a dança, como um todo. Coloque suas músicas favoritas para tocar e vem com a gente!

Por que escolher a dança como atividade física?

O que faz uma pessoa escolher a dança como atividade física?

A pergunta pode ter mais de uma resposta e listamos aqui alguns aspectos que podem ser atrativos para quem considera e opta por esse exercício.

A dança se distancia da ideia tradicional de exercício físico

Como falamos antes, a dança aparece como uma opção de atividade física para muitas pessoas que não curtem a ideia de praticar exercícios mais tradicionais.

Então, se você busca algo que se distancie dessa ideia clássica do que é se exercitar, uma modalidade rítmica pode ser uma ótima opção.

Dança e diversão andam lado a lado

Além de ser uma atividade considerada mais dinâmica, a dança também se destaca por sua relação com uma noção de diversão.

Por isso, a atividade também pode dar um outro tom ao momento de praticar exercício — principalmente considerando que há quem veja rotinas de exercícios físicos como algo chato ou uma obrigação não muito agradável.

A dança pode ser executada com ou sem companhia

Vale considerar ainda que a dança, em sua diversidade de modalidades, pode ser realizada com ou sem companhia.

Se você prefere praticar individualmente, há estilos em que você não precisa da parceria de alguém ao seu lado. 

Ainda para quem prefere uma dança individual: existem aplicativos e vídeo aulas on-line que permitem que você pratique solo, e ainda tenha uma orientação com profissionais especializados e adequados.

Já para quem busca uma atividade mais social, a dança também serve perfeitamente.

E isso inclui não apenas as modalidades que trabalham coreografias em dupla ou grupos, mas também a própria coletividade das aulas.

Em estúdios e academias, por exemplo, mesmo que com foco no seu desenvolvimento individual, a atividade promove senso de coletividade e diálogo.

Então, vem conhecer 5 modalidades de dança para manter uma vida ativa

1) Balé

Começando pelo clássico. O Balé é uma das formas de dança mais tradicionais tanto na arte quanto no âmbito da atividade física.

Esta é uma modalidade que se desdobra em mais tipos de dança, como o Balé Moderno e Contemporâneo.

Mas o que caracteriza cada uma dessas modalidades?

Balé Clássico

Movimentos

O Balé Clássico é baseado em posições pré-determinadas.

Ou seja, nesta — e em outras modalidades, como você verá — diferentes coreografias contêm movimentos iguais.

No caso do Balé Clássico, são cinco as posições básicas realizadas com os pés, e quatro executadas com os braços.

Mas a atividade, extremamente técnica, apresenta inclui outros movimentos e outras posições.

Trabalho

Quando pensamos em praticantes de balé, provavelmente a primeira coisa que vem à mente é alguém na ponta dos pés, correto?

Não é à toa: a execução do balé clássico foca justamente no trabalho de pontas.

Além disso, esse estilo também visa a fluidez de movimentos — uma característica comum entre os diferentes estilos de Balé.

Balé Moderno e Contemporâneo

Derivações

O Balé Moderno deriva diretamente do Balé Clássico e, por isso, divide características com a primeira modalidade.

O trabalho de pontas e a fluidez de movimentos são exemplos desses pontos comuns entre ambos os estilos.

Em contrapartida, as diferenças também são notáveis.

No Balé Moderno, os movimentos são mais livres. Existe uma mistura de técnica e expressão criativa muito forte, evidenciando individualidades de seus praticantes e professores.

Já a modalidade Contemporânea é derivada da Moderna, e inclui a influência do mundo urbano e seus ritmos e estilos de dança.

2) Jazz

Quando falamos sobre Jazz, é comum a relação com o Balé.

Há quem pense que é uma adaptação do Balé Clássico com ritmos menos tradicionais.

Mas a verdade é que o Jazz que conhecemos hoje em dia, aquele que ocupa estúdios e academias, se baseia majoritariamente no Balé Clássico e na Dança Contemporânea. 

Esses estilos são os que servem de base para a técnica do Jazz.

O blog Ana Botafogo Maison aponta que a modalidade se originou ainda no século XIX, da mistura entre as culturas negras e americanas/europeias — incluindo o Balé Clássico.

Desde então, o estilo de dança vem se desenvolvendo e ganhando novos contornos.

Apesar de uma de suas principais formas ter se desenvolvido paralelamente ao gênero musical Jazz, atualmente a modalidade de dança Jazz comporta outros ritmos.

Este é um estilo de dança muito atrelado ao improviso e à expressão corporal pessoal.

Mas isso não quer dizer que não há características executadas por todas as pessoas que praticam Jazz. Até porque, como já mencionamos, a base dessa modalidade reside em movimentos do Balé Clássico e Dança Moderna.

Além disso, técnicas e movimentos da cultura popular, como o Swing, também fazem parte do corpo do Jazz.

Essa é uma atividade que movimenta todo o corpo e, por isso, proporciona um ótimo trabalho muscular — especialmente para braços e pernas.

3) Dança de rua

Muitas pessoas, quando pensam em dança de rua, visualizam as acrobacias e os movimentos ousados de b-boys e b-girls.

E, de fato, estão parcialmente corretas: essas são características do break dance, um estilo que faz parte da Dança de rua, mas não traduz toda sua abrangência.

Afinal, a Dança de rua contempla uma ampla variedade de estilos que se popularizaram nos meios urbanos.

Alguns dos estilos considerados Dança de rua são:

  • Break dance
  • Popping
  • Locking

Talvez esses termos não tenham te remetido a muita coisa.

Mas certamente você já viu alguns de seus movimentos e já ouviu alguns dos ritmos que embalam essas danças.

Até porque, esses estilos estão cada vez mais presentes na cultura popular — seja isolados ou mesclados —, tomando conta de coreografias de divas pop e balés de artistas musicais, por exemplo. 

E apesar de cada um dos estilos acima trabalhar o corpo de uma forma, eles se utilizam de características semelhantes, como movimentos precisos, simétricos, e que utilizam de certa força para sua execução.

Assim como no Jazz, a cultura negra — dos Estados Unidos — é o berço da Dança de rua.

E o ritmo que domina seus estilos é o hip-hop.

Mas a música pop também se encontra com essas expressões urbanas já há alguns anos.

Por se tratar de uma modalidade bem intensa, a queima de calorias é um de seus benefícios mais conhecidos.

Mas, além disso, quem opta por manter uma vida ativa através da Dança de rua pode ainda desenvolver melhor coordenação motora, consciência e expressão corporal.

4) Dança do ventre

Das modalidades citadas aqui, a Dança do ventre certamente é a mais antiga.

Não se sabe ao certo quando esse estilo de dança foi criado, mas há possibilidade de datar do Antigo Egito e até mesmo antes deste período.

E entre as diversas histórias que cercam a Dança do ventre, a mais difundida é a de sua relação com o feminino e rituais dedicados às divindades.

Narrativa que desconstrói a ideia de que é um tipo de dança focado em servir os desejos dos homens.

De acordo com artigo:

“A dança do ventre é ligada ao rito de fertilidade, é a modalidade de dança que melhor simboliza a essência da criação, onde se agradecia o milagre da vida, louvando, com dança e oração, o prazer, o nascimento e a sensualidade feminina. Apesar de ter ficado conhecida como uma dança originária da Arábia, essa “nova” mania foi criada como ritual de fecundidade há sete mil anos, por sacerdotisas egípcias”.

De lá para cá, a Dança do ventre deixou seu berço de origem e tomou conta do Ocidente, ampliando o alcance de seus conceitos e ensinamentos.

O que não mudou, porém, é o foco do trabalho corporal dessa atividade.

Como o próprio nome diz, a Dança do ventre tem uma execução de movimentos concentrada na região do ventre.

Os movimentos consistem, basicamente, em contrações de abdômen e encaixe do quadril, e por trabalhar essa parte do corpo, em sua tradição de origem, a dança também era utilizada para preparação para o parto e para corrigir problemas hormonais.

Além dessas funções, outros pontos que podem atrair praticantes para a Dança do ventre são o trabalho dos chakras e a estimulação de órgãos reprodutores.

5) Zumba

A última modalidade que temos para indicar é, talvez, a mais popular atualmente dentro de ambientes como academias. E alguns aspectos podem contribuir para isso.

Afinal a Zumba é uma novidade. Diferente dos estilos de dança citados acima, a Zumba é uma modalidade que foi criada muito recentemente: nos anos 90!

Além disso, outro motivo para o aumento da popularidade desta modalidade se dá também pela crescente força dos ritmos latinos nos últimos anos.

Mas o que difere a Zumba de outros estilos de dança?

Ritmos

Como mencionado acima, a Zumba é embalada por ritmos latinos.

Inicialmente, a atividade era marcada por músicas de ritmos como salsa, reggaeton, merengue e cumbia.

Mas, com sua chegada por aqui, a Zumba também ganhou contornos brasileiros, adotando também o funk e o axé.

Coreografias

As coreografias idealizadas dentro da Zumba também são pensadas de forma diferente.

Isso porque a modalidade tem como objetivo unir movimentos de dança e rotinas aeróbicas.

Por isso é muito comum que você veja alguns movimentos se repetirem nas mais diversas coreografias para diferentes músicas.

Outros aspectos sobre a Zumba

Além dos diferenciais da Zumba, é importante também informar sobre demais aspectos definidores e resultados da modalidade.

A começar por seus benefícios.

A zumba ajuda a tonificar os músculos de seus praticantes, além de promover maior flexibilidade e resistência, queimar calorias e melhorar a circulação sanguínea.

Vale notar ainda que pessoas de todas as idades estão aptas a praticar Zumba, tornando a atividade não apenas benéfica para a qualidade de vida, mas também inclusiva.

Para conhecer mais sobre a Zumba e descobrir onde pode encontrar profissionais e aulas perto de você, consulte o site oficial da marca.

Mitos sobre a dança

Além dos cinco estilos de dança que trouxemos para você, existe uma diversidade de outras modalidades e ritmos a serem explorados.

Mas mesmo uma atividade divertida e dinâmica, como a dança, pode carregar alguns estigmas.

E aqui desmistificamos alguns para que você termine esse texto já dançando.

Mito: A dança não é inclusiva

Verdade: Muitas pessoas podem associar a dança a noções preconceituosas e, frequentemente, capacitistas.

Colocando em termos mais simples, essas ideias acabam excluindo da atividade pessoas com diferentes tipos de mobilidade, condições físicas e até psicológicas.

Mas a verdade é que a dança, é realmente inclusiva e, quando orientada da forma correta, permite que todas as pessoas participem. 

Mito: Dança não é atividade física

Verdade: Lembra que falamos que a dança é muito associada à diversão?

Por isso, há quem nem a considere uma atividade física. Mas adiantamos: essa crença está completamente equivocada.

A dança trabalha grupos musculares, aprimora flexibilidade e mobilidade, pode ajudar na circulação sanguínea, queima calorias… Então o que tornaria essa modalidade diferente das demais atividades físicas?

Vale lembrar que existe ainda a profissionalização na dança, em diversos tipos dela.

Então, para que ela seja uma atividade física de qualidade para você, é de suma importância encontrar aulas orientadas por essas pessoas profissionalizadas.

Mito: Dança é coisa de mulher 

Verdade: Essa é uma ideia ultrapassada que teima em persistir em nossa sociedade.

Falamos ali em cima sobre como a Dança do Ventre é frequentemente relacionada a algo exclusivamente feminino. E esta modalidade certamente carrega uma carga mais forte deste preconceito, mas é preciso admitir que demais estilos de dança também carregam essa ideia consigo.

E mais importante é desmistificar isso.

A dança, assim como qualquer outra atividade física, é coisa de mulher, de homem, e qualquer outra identidade com a qual uma pessoa pode se identificar.

Não só no âmbito da atividade física, mas também no que diz respeito à expressão de cada indivíduo.

Os benefícios da dança são os mesmos para quem a pratica, independente de sua identidade. E os homens que se aventuram nesta arte-atividade, certamente saem ganhando uma liberdade diferenciada.


A gente sempre tem coisas legais pra te contar!

  1. Descontos exclusivos para nossa lista de emails.
  2. Enviamos conteúdos informativos.
  3. Novidades sobre nossos produtos e promoções.
  4. Enviamos poucos emails.
  5. Você pode sair da lista a qualquer momento.
  6. Respeitamos sua privacidade: não rastreamos seu email.

Cadastrar

Banner App Arimo
Banner Pinterest Arimo
Banner Instagram Arimo

Utilizamos cookies para o funcionamento de nossa loja online. Também utilizamos cookies de terceiros para personalização de experiências de anúncios nas plataformas deles.